O crítico e escritor William Deresiewicz fez um artigo para o New York Times descrevendo a geração atual, os jovens também conhecidos como Millenials ou Geração Y (que nasceram entre o final da década de 70 e  meados da de 90), e classifica-os como “Sell Generation”.

William ressalta que toda geração teve um ideal afetivo, e cita, por exemplo, os hippies que tiveram a Paz e o Amor como prioridade ideológica. Para ele, o ideal afetivo da geração atual é o mesmo de um “cacheiro viajante” que vende bugigangas e, além de dinheiro, recebe as experiências e os sentimentos dos lugares que passa. Segundo o escritor, os jovens contemporâneos são preocupados com a casa (o planeta) e não priorizam nem só o coletivo e nem apenas o indivíduo, mas a expressão e arte. O foco é vender (mesmo que não seja por dinheiro) suas criações, produções, ideias etc de cada um para que, juntos, construam um mundo mais consciente e divertido ao mesmo tempo.
Você pode ler o texto todo (em inglês) clicando aqui.
Nós somos Millenials, e você?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *